História

A construção deste Forte, situado sobre a praia do Tamariz no Estoril, remonta ao séc. XVII no reinado do Rei Filipe III de Portugal e IV de Espanha. Estava inserido numa linha de fortificações de defesa da costa que se estendia da praia do Abano (Guincho) até Caxias. Destinava-se a evitar um eventual desembarque inimigo com a finalidade da ocupação da Capital.

O seu nome original era Forte da Cruz de Santo António d'Assubida, e destinava-se a "cruzar fogo" com um outro forte, hoje destruído, que dava pelo nome de Forte de Santo António. Assim a praia estava protegida de desembarques de forças hostis.
O monumento tem o nome na atualidade de Forte da Cruz. Foi comprado ao Estado no séc. XIX, mais propriamente em 1894, pelo bisavô dos atuais proprietários, e inseria-se na moda de deslocação da Corte que seguia o Rei na sua estadia de Verão para a zona de Cascais. Foi na altura que começaram a estar em voga os banhos de mar, aliados ás águas medicinais que existiam no Estoril.

Após a compra do antigo forte, o novo proprietário contrata artistas de renome para reformar e tornar habitável essa defesa de costa. O plano que foi escolhido, em virtude de se estar no fim do Romantismo e da sua vocação militar inicial, foi o de um Castelo ao estilo Toscano, mas que se enquadra perfeitamente na paisagem única da borda do mar desse lugar.

Com uma situação privilegiada e uma vista maravilhosa, tornou-se assim o Forte da Cruz, num ícone de toda a Costa do Estoril, estando publicitado e conhecido no mundo inteiro.